domingo, 27 de maio de 2012

Partida

Coluna Partida (1944), Frida Kahlo


Minha tristeza é profunda
como o vale do Rio Grande.
Não tem barca que alcance
meu encontro com o mar.
É grande, Rio São Francisco.

É uma tristeza nojenta,
menino que joga pedra
e não vê o passarinho.
Minha tristeza é o ninho
sem ninguém pra abraçar.

A minha tristeza é mole;
espera recipiente
pra poder se modelar.
É o choro do doente
no vazio de uma casa.

Minha tristeza nem vai,
nem volta.

3 comentários:

  1. Tal como os rios, sedimentamos a tristeza no leito de nossa alma. Quem mergulha fundo na alma de outrem entende a razão de ser de cada dor :)

    ResponderExcluir
  2. Lindo Janara.

    essa tristeza é grande, como grande é a alma deste poema.

    ResponderExcluir

Quebre o silêncio!