domingo, 27 de maio de 2012

O meu cabelo


Nude with a Mirror (1919), Joan Miró

O meu cabelo castanho
lambeu os cantos macios
do travesseiro colorido.
Lambeu a cama toda,
as paredes, o teto.

Lambeu o chão,
fez do chão beira de riacho.
Derramou a água toda
e lambeu a água toda.

Meu cabelo reduziu o grito,
caminhou nas pernas,
incomodou vizinhos.

Depois de tudo feito,
meu cabelo descansou
na mesa do café.

3 comentários:

  1. Seu cabelo/poesia faz festa e algazarras.

    ResponderExcluir
  2. Super gostoso para ler, um rítimo musical e com uma proposta bem inovadora! Interessante. Parabéns! Seguindo...
    Me segue também! bjos

    ResponderExcluir
  3. Há um idioma que somente os cabelos entendem.

    cheiro

    ResponderExcluir

Quebre o silêncio!